Sexta-feira, 25 de Junho de 2010

Biografia!

https://1.bp.blogspot.com/_gRJiqH7s1I0/S69fRMbMq3I/AAAAAAAAALE/9kf_-HSBLpw/s400/tokio_hotel1.0.0.0x0.400x320%5B1%5D.jpg

Bill Kaulitz (vocalista)

Tom Kaulitz (guitarrista)

Georg Listing (baixista)

Gustav Schäfer (baterista)


Não há nenhum neste mundo que está mais preparado para aproveitar o brilho do estrelato rock do que os membros dos Tokio Hotel. Humanoid é o segundo lançamento deles nos EUA, a seguir vem o album "Scream" do ano 2008, mas para milhões de fãs em todo o mundo, eles já são ícones.


"As coisas estão apenas a começar agora para nós aqui nos EUA," disse Bill Kaulitz, o homem da frente da banda, o líder Things are just starting for us in the US," says Bill Kaulitz, the band's front man, o líder de um exército mundial de couro preto- e devotos de eyeliner-clad. "O que nós já experimentámos tem sido óptimo, e nós estamos ansiosos para começar isto de novo."


O maior acto saiu da Alemanha em 20 anos, os Tokio Hotel foram platina 10 vezes, atingiram o número 1 com 4 singles e venderam arenas e estádios por toda a Europa. Eles ganharm o Best New Artist VMA da MTV em 2008.


O foguete deles para o sucesso foi lançado em 2001 quando Bill e o seu irmão gémeo Tom --  guitarrista da banda -- formaram a banda juntamente com o baixista Georg Listing, agora com 23, e com o baixista Gustav Schäfer, com 21. Eles começaram com 10 anos de idade a actuar para pequenas multidões perto da cidade deles, Magdeburg, uma aldeia com uma mina de sal que fez parte da Alemanha Oriental.


Crescendo numa das partes mais sombrias da Alemanha, Bill e Tom foram diferentes dos seus colegas de turma, quase aliens. Eles eram os azarões. Os gémeos sabiam que tinham que partir dali para fora.


O Tom começou a tocar guitarra dos 7 aos 13 anos de idade, juntamente com um Bill já de cabelos espetados, eles apanharam a atenção de alguns dos produtores mais conheçidos da Europa (incluíndo o produtor David Jost no Humanoid) e solidificou a fórmula sincera pop-rock deles.


A princípio chamados Devlish, eles mudaram o nome deles antes do lançamento do primeiro álum em alemão, Schrei (Scream em inglês). Em 2005, eles embarcaram no que seria a tour de estreia mais bem sucedida da Alemanha, por um novo artista. Em 2007, eles lançara, o seu segundo álbum alemão, Zimmer 483 (Room 483 em inglês), e venderam arenas para concertos na Europa em minutos.


Como relâmpago sem trovão, a banda adquiriu a atenção de uma geração inteira. Em França, a populariedade do grupo explodiu. Eles passaram de actuar em pequenos clubes para 500 para actuarem ao pé da Torre Eiffel para uma multidão de 500,000 fans gritando foneticamente as letras em alemão das músicas dos Tokio Hotel. Logo depois eles fizeram história por se tornarem a primeira banda alemã a atingir o #1 nas rádios de Israel.


Em 2008, depois de 43 concertos cansativos, o Bill sofreu uma cirurgia de cistos nas suas cordas vocais mas estava de volta na estrada actuando ao redor do mundo dentro de 2 meses, pouco depois do Scream ter sido lançado pela primeira vez nos EUA em 2008.
Humanoid é embalado com muita da mesma emoção que conectou multidões de fans jovens. E nesta época de Rock Band e Guitar Hero, o álbum está cheio de oportunidades para a participação da audiência.


O primeiro single, "Automatic" é um hino metálico com camadas, guitarras, percussão e um coro falsete feito para ser cercado por um estádio cheio de pessoas. "World Behind My Wall" redefine o poder da balada com profundidade, introspecção, ousadia musical e um irresistível refrão sing-along.


Durante a gravação desta vez, embora, a banda estava na sua fase mais experimental até à data. Eles seguiram músicas em Hamburgo, Miami e L.A. "O Bill meteu-nos a todos malucos, vindo constantemente com coisas, apesar de as músicas antigas não estarem terminadas ainda," disse Tom, que gosta de frequentemente enervar o seu irmão. "Além disso, nós não nos limitamos a nós próprios, e usámos novos instrumentos."


Existe mais som electrónico no Humanoid. O primeiro single "Automatic" explora a relação entre emoções de cada dia e conveniências de cada dia.
"Como tantas coisas acontecem automaticamente cada dia?" disse Bill. "A porta abre e fecha automaticamente, fazer as marchas num carro; uma lente da câmara -- todas essas coisas são positivas, mas quando a qualidade mecânica do automático encontra coisas humanas como o amor, então de repente torna-se extremamente negativo, O amor tem que ser espontâneo e genuíno, nunca automático nem frio. Esse é o tema que move com as pessoas.


Juntamente com novos sons, novos objectivos, novo concerto ao vivo, e mesmo o novo estilo do Bill, os fans de longa data vão continuar a encontrar a constante conexão da crua honestidade e emoção com os Tokio Hotel.


"Nós amamos os nossos fans porque eles são os mais altos de todos e fazem coisas malucas," disse Bill. "Eles apoiam-nos sempre, não interessando o que aconteceu e muita coisa que já aconteceu."


Tradução: Geschichten von Tokio Hotel

Fonte: http://www.tokiohotel.com/us/#bio/

(Se copiares, dá os devidos créditos.)

publicado por Geschichten von Tokio Hotel às 22:41
link do post | comentar | favorito